Imprimir Fechar
Sapiranga, 21 de novembro de 2017
Estamos pesquisando sua consulta.
Por favor aguarde alguns instantes!
conteúdo

SAÚDE - Procura foi baixa pela vacinação contra a gripe no último sábado

Pouco mais de 1,6 mil foram vacinadas no Dia D (com apenas 30% da meta, crianças ainda preocupam)
Redator: Departamento de Comunicação Fonte: Prefeitura de Sapiranga 15/05/2017
A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe em Sapiranga, que no sábado, 13 de maio, teve seu Dia D de Mobilização Nacional com todas unidades de saúde abertas, chegou a 11,7 mil doses aplicadas na Cidade das Rosas. O número, faltando duas semanas para o final da campanha, ainda é baixo (Sapiranga chegou a 58,3% da meta, que é de 90% até o dia 26 de maio).

O mais preocupante ainda é o baixo número de crianças imunizadas, que até agora soma apenas 30% da meta. A Secretaria Municipal de Saúde espera que as pessoas busquem a imunização, lembrando que  a vacina da gripe leva em torno de 15 a 20 dias para que o organismo tenha a formação da proteção desejada. No último sábado, cercade 1,6 mil doses foram aplicadas (em 2016 o Dia D chegou a vacinar quase 4 mil pessoas em Sapiranga).

 METAS 

O Município chegou até agora a 58,35% da meta de 90% prevista. A campanha de vacinação em Sapiranga ocorre até 26 de maio de segunda à sexta-feira em todas unidades de saúde, com exceção da UPA, USE e Unidade Central de Atendimento da Secretaria de Saúde.

Professores e idosos foram os grupos que mais buscaram a imunização até agora. Os professores, incluídos neste ano nos grupos prioritários, já chegando à meta mínima de 90% (o índice chegou a 91,5%) de imunização do total do grupo. Os idosos já alcançaram 78,4% da meta, percentual do qual está perto o grupo de trabalhadores na área de Saúde (74,8%).

Já as crianças  têm o menor índice de todos os grupos prioritários, com apenas 30,3% de doses aplicadas. A expectativa era de que neo sábado de mobilização nacional pela imunização os números registrassem considerável aumento, mas não foi o que aconteceu. A chuva que se estendeu por todo o sábado acabou também atrapalhando a ide de muitas famílias às unidades de saúde. O que se espera é que os pais se conscientizem da necessidade vacinar seus filhos e o façam antes do próximo dia 26.



 UNIDADES E HORÁRIOS PARA A VACINAÇÃO EM SAPIRANGA 
 
 
De Segunda à sexta-feira
Unidade Sanitária – 7 horas às 18h30
UBS Centenário – 7 às 18 horas
UBS São Jacó – 7 às 13 horas
UBS Ferrabraz – 7 às 13 horas
UBS Amaral Ribeiro – 7 horas às 18h30
UBS São Luiz – 7 horas às 18h30
UBS Vila Irma - 7 às 18 horas
USF João Goulart – 7 horas às 18h30
USF Oeste – 7 horas às 18h30
USF São Paulo – 7 horas às 18h30
USF Morada São Luiz – 7 horas às 18h30
 
 
 

 A VACINAÇÃO EM SAPIRANGA 

 

PÚBLICO ALVO

META

DOSES JÁ APLICADAS

Crianças (6 meses a 4 anos 11 meses e 29 dias)

4.942

1.498 (30,32%)

Trabalhadores da área da saúde

1.181

872 (74,85%)

Gestantes

900

377 (41,94%)

Puérperas

148

81 (54,73%)

Idosos

6.675

5.237 (78,46%)

Professores

984

901 (91,56%)

Total

14.812

8.970 (58,35%)

Portadores de comorbidades*

5.471

2.809

Total

20.283

11.779

 

* Para fins de totalização dos 90% de meta do Município não é contabilizado o grupo de comorbidades
Fonte: Secretaria Municipal de Saúde de Sapiranga

 

 

 PÚBLICO-ALVO 

Os grupos prioritários para a vacinação da gripe, segundo o Ministério da Saúde,  são as crianças de seis meses e 5 anos incompletos de idades (4 anos, 11 meses e 29 dias); gestantes;  puérperas (mamães até 45 dias após o parto); população indígena; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; pessoas com mais de 60 anos de idade; detentos (incluindo adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas) e funcionários do sistema prisional; agentes de saúde e, a novidade deste ano, os professores de escolas públicas e privadas.

A meta estipulada para 2017, de acordo com Daniele Rocha, da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde,  passou de 80% para 90% de cobertura para os grupos prioritários. Com isso,  a estimativa populacional para a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza para o Município é de cerca de 20 mil  pessoas imunizadas. "É preciso ter consciência que a campanha é voltada apenas para estes grupos prioritários", destaca a secretária municipal Janete.

A Secretaria de Saúde do RS explica que a escolha do público-alvo da vacinação é feita levando em conta as pessoas com mais chances de desenvolver complicações a partir da gripe. Os critérios são construídos a partir da investigação do perfil dos casos graves e dos óbitos verificados devido à gripe.
 
A campanha nacional é uma  iniciativa do Ministério da Saúde, por meio da Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações (CGPNI), do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis, da Secretaria de Vigilância em Saúde. A imunização deste ano foi antecipada (em 2016 a vacinação começou no final do mês de abril) em duas semanas devido ao aumento  do número de casos de gripe no ano passado.
 
 A VACINAÇÃO 

Em Sapiranga a ação ocorre em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e de Estratégia de Saúde da Família (USFs). As doses só não serão disponibilizadas na UPA 24 Horas, na Unidade de Saúde Especializada (USE) e no prédio da Secretaria de Saúde (ao lado do Hospital Sapiranga), porque estes locais são voltados a serviços de atendimento de emergência e de especialistas.

Em 2016, a imunização em Sapiranga ultrapassou os 90% nos grupos prioritários (a meta era 80%), sendo liberadas mais de duas mil doses para a comunidade não inserida no público-alvo. No total, mais de 20 mil doses foram distribuídas em Sapiranga no ano passado. Para este ano, a meta (o governo a aumentou de 80% para 90%) é vacinar cerca de 19,2 mil pessoas inseridas nos grupos prioritários. 
 
  
 CONTRAINDICAÇÃO 

Não é recomendada a vacina para pessoas com histórico de reação anafilática (alérgico ao antídoto), alergia ao ovo da galinha e seus derivados e que pessoas que apresentem quadro de febre alta. Ao receber a dose podem ocorrer algumas reações, como é comum um leve avermelhamento da pele, endurecimento e dor no local da aplicação.
 
 O VÍRUS 
 
A transmissão do vírus ocorre principalmente através do contato de partículas eliminadas por pessoas infectadas ou no contato com mãos e objetos contaminados por secreções, muito comum em ambientes fechados, e nos lugares com maior número de pessoas concentradas. Por isso, é preciso adotar medidas simples como limpar as mãos com frequência; uso de lenço descartável para higiene nasal; cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir; higienizar as mãos após tossir ou espirrar ; evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca; não partilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal; evitar aperto de mãos, abraços e beijo social; ambientes com aglomeração; evitar visitas a hospitais e ventilar os ambientes. Todas estas regras ajudam no combate à proliferação do vírus. 
 
A composição das vacinas foi ampliada neste ano. As vacinas Influenza Trivalentes terão três tipos de cepas de vírus em combinação, dentro das seguintes especificações: um vírus similar ao vírus influenza A/Michigan/45/2015 (H1N1)pdm09; um vírus similar ao vírus influenza A/Hong Kong/4801/2014 (H3N2); e um vírus similar ao vírus influenza B/Brisbane/60/2008. As vacinas Influenza Quadrivalentes conterão dois tipos de cepas do vírus influenza Br: um vírus similar ao vírus influenza B/Phuket/3073/2013;  um vírus similar ao vírus influenza A/Michigan/45/2015 (H1N1)pdm09; um vírus similar ao vírus influenza A/Hong Kong/4801/2014 (H3N2); e um vírus similar ao vírus influenza B/Brisbane/60/2008.
 
 A GRIPE 

A gripe  é uma doença respiratória causada pelo vírus Influenza que provoca febre, tosse, dor de garganta, dores no corpo e mal estar. Nos casos mais agudos pode causar inflamações como otites (inflamação dos ouvidos) e pneumonias, podendo levar à internações ou nas situações mais extremas ao óbito. As pessoas que apresentem estes sintomas devem procurar a unidade de saúde mais próxima ou atendimento médico imediatamente para verificação se o caso é ou não de Gripe A e se é necessária medicação imediata.

A transmissão dos vírus influenza ocorre pelo contato com secreções das vias respiratórias que são eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). À população em geral não incluída nos grupos prioritários, o Ministério da Saúde orienta a adoção de cuidados simples como formas de prevenção: lavar as mãos várias vezes ao dia, cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar, evitar tocar o rosto e não compartilhar objetos de uso pessoal, entre outros.
 
Em caso de síndrome gripal, a recomendação é procurar um serviço de saúde o mais rápido possível. A vacina contra a gripe não é capaz de eliminar a doença ou impedir a circulação do vírus. Por isso, as medidas de prevenção são tão importantes, particularmente durante o período de maior circulação viral, que é entre os meses de junho e agosto. 
 
Também é importante lembrar que, mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe – especialmente se são integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações – devem procurar, imediatamente, o serviço médico.
 

Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração. 

 

 

voltar